sexta-feira, 7 de junho de 2019

EDUCAÇÃO UM AGENTE TRANSFORMADOR



Oi pocktes!!
Hoje vamos falar um pouquinho sobre educação, seus caminhos e desafios.

Participei no mês de maio do Congresso de Educação organizado pela Editora moderna. A participação nos mostrou caminhos esperançosos para a educação e principalmente de estarmos no caminho certo no desenvolvimento da leitura entre grupos coletivos e sociedade. Ouvimos formadores de opinião que nos mostraram como a educação cresceu muito durante o período democrático, com o desenvolvimento de novas tecnologias e capacitação de gestores mais engajados. Apesar desse crescimento, dados mostram que foi  muito aquém do necessário e que seríamos capazes, regiões do Brasil tem uma discrepância enorme quanto a outras. Dificuldade de compreensão de textos entre segmentos de alunos de mesmos níveis escolares são ainda absurdas. 

O primeiro palestrante do dia foi Miguel Thompson do Instituto Singularidades. Segundo ele desde que a criação da enciclopédia por Gutenberg o acesso a livros e informações nunca foi tão acessível, lembrando que antes os livros eram restritos à aristocracia e ao clero. Com o advento dos computadores e aplicativos eletrônicos a leitura e informação agora esta na palma da mão. Miguel Thompson também nos fala sobre o conceito que empresários e empresas tinha de não capacitar seus funcionários para que eles não tivessem conhecimento suficiente para contestar e copiar seus projetos, mas Henri Ford empresário e fundador da fabricante do automóvel Ford nos idos dos anos de 1900 já pensava diferente. Ele buscava capacitar seus funcionários para ter melhor qualidade industrial dos produtos e fortalecer as empresas que forneciam outros componentes automobilísticos para suas empresas e claro o desenvolvimento industrial nos Estados Unidos.
Após a bomba atômica houve uma mudança cultural entre as pessoas, apareceram grupos de hip-hop, eventos literários, reunião de grupos culturais de contestação de atitudes e conceitos, isso criou um frenético desenvolvimento de escritores e artistas que trouxe o povo para mais próximo da literatura e atividades culturais. Começamos a trabalhar mais a diversidade cultural, em aulas e  eventos, a buscar convergências e a entender que nossos valores pessoais são mais importantes que nossas competências.

Na palestra seguinte o jornalista Antônio Góis nos leva a sala de aula através dos representantes dos colégios mineiros Nossa Senhora das Dores e Sagrada Família. Nos fala dos desafios de educar nestes tempos contemporâneos e cercados de tecnologias. Como agir com os conflitos em sala de aula? Tentar engajar e criar temas e projetos para interagir alunos e escola, fomentar projetos escolares e extras curriculares. Muitos desses atores acreditam que esses desafios só colaboram para o desenvolvimento crítico e de descoberta do aluno.

A seguir estivemos na companhia do grande escritor Pedro Bandeira autor de livros com Droga do Amor, Droga da Obediência, A Marca de uma Lágrima entre outros. Pedro Bandeira nos remete a leitura e a dificuldade de inserirmos as crianças e jovens na leitura. Que devemos ser mais pacientes e atores no contexto da literatura, mais atuantes. Pois leitura nos transporta a lugares que achávamos inacessíveis e transforma o ambiente ao nosso redor. Ele nos relata que aquele que tem mais dificuldade de ler ou gostar de leitura é que devemos nos aproximar e inserir eles nos projetos literários. Que esses que tem dificuldade em leitura e atenção, para propormos textos curtos, textos fáceis, canções, poemas e anedotas, pois a prática e a integração aos que tem essa facilidade farão que se sinta parte do contexto ao redor e parte do ambiente escolar. 

E finalmente Lars Grael velejador, ganhador de duas medalhas olímpicas e vários troféus mundo a fora, que perdeu a perna em acidente náutico. Lars nos ensina o poder de superação, a insistência em competir e depois em viver, a luta, a dor, o amor à vida e a gratidão aos que colaboram nos esportes e na sua luta pela sobrevivência depois do acidente. Muito emocionante e instigador como a força de vontade dele em aprender nos esportes e nas administrações públicas que ele integrou  forma de grande valia na vida pessoal dele.

Enfim foi um encontro de grande aprendizado e amor à educação e a leitura. Que venham outros e que possamos sempre estar engajados e abertos a projetos assim. Muito emocionado em estar na companhia de pessoas que sonham o mesmo sonho e objetivos e de conhecer Pedro Bandeira um ídolo que ultrapassa décadas e sentimentos de amor a leitura.

“Educação e leitura assim se constrói um país”

#VemLerComAGente



Nenhum comentário:

Postar um comentário