segunda-feira, 25 de junho de 2018

ESTÁ ACONTECENDO DE NOVO?

CAPA REVISTA TIME
Eu vi crianças chorando por serem separadas dos pais!
Eu vi soldados rindo da situação de desespero das crianças!
Eu vi crianças desamparadas, tristes, abandonadas!
Eu vi crianças cercadas por grades!
Eu vi crianças jogadas em jaulas!

Não, não foi no nazismo de Adolf Hitler, nem no fascismo de Benito Mussolini, mas sim em pleno século 21, nos Estados Unidos da América de Donald Trump. O País da liberdade, das oportunidades, do futuro promissor. E não me venham dizer que estou exagerando, que não entendi direito a situação. Não há o que entender, são crianças chorando longe dos pais, é incompreensível, é desumano.
Querem nos fazer acreditar que é um processo normal, de ajustes. Não, não é normal! Nos ajustamos roupas, máquinas, carros, pessoas não, crianças não.
É assim que eles querem nos manipular, coloca em suas entrevistas montadas por seus assessores que tudo é fruto de factóides, que a mídia e a oposição estão exagerando, que estas atitudes são necessárias para um bem maior, que no futuro entenderemos melhor a situação. Todos eles começam assim.
A ditadura nas Américas foi assim!
A ditadura no Brasil foi assim!
O nazismo e o fascismo se colocaram como a salvação!
Todos eles cometeram crimes em nome de um bem maior da sociedade. Deixaram filhos órfãos, pais sem seus filhos, famílias sem seus entes queridos, esposas esperando seus maridos, sem velório até hoje.
Os imigrantes saem de suas respectivas nacionalidades atrás de oportunidades melhores para seus filhos, de segurança. Crianças inocentes que não compreendem este contexto só querem estar ao lado dos seus pais, se divertirem, comerem, sorrirem, dormir em paz e acordar ao lado de quem confiam como pais e mães.
Não presenciei a segunda guerra mundial, não convivi com a ditadura brasileira e nem sulmericana, mas sei o quanto de pessoas morreram e foram sacrificadas para que tivéssemos um mundo mais humano, mais tranqüilo, mais bonito.
E só é possível viver esta paz em sociedade com democracia, com liberdade, amor ao próximo, respeito à dignidade humana, com educação, cultura de qualidades para crianças e jovens.
Eu vi e não quis acreditar!
Eu vi e me lembrei do holocausto!
Eu vi e chorei!
Eu vi e doeu muito!
Estão matando nossos jovens e crianças, eu vi!
Por favor, não deixem nossas crianças e jovens morrerem e sofrerem em mãos inescrupulosas, insensíveis, desumanas!
Não ache normal!
Se indignem!
Não se calem!
Nenhum ser humano é ilegal!
Somos todos imigrantes querendo ir para algum lugar, buscando um destino.
Ame teu próximo, ame incondicionalmente!
Eduque as crianças e jovens para que sejamos mais humanos, mais sensíveis a realidade de cada um.
Eu vi! Eu vi e não vou me calar!

Aqui vão algumas musicas que remetem a esta situação:

·   A Canção do Senhor da Guerra
Legião Urbana
·   Era um Garoto que como eu amava os Beatles e os Rolling Stones
Engenheiros do Hawaii
·   Sunday Bloody Sunday
U2


Livros que nos ajudam a entender melhor:


· Filmes:

·   A Lista de Schindler de 1983
Direção de Steven Spielberg
Em 2007 Thomas Keneally publica um livro baseado na história

O Menino do Pijama listrado de 2008
Direção de Mark Herman
Em 2014 John Boyne publica o livro
·        
    Em nome do pai de 1994
Direção Jim Sheridan


Educação e leitura assim se constrói um país.


sexta-feira, 22 de junho de 2018

UM RECOMEÇO - ANNY MENDES


Oi gente!!! Hoje eu vim compartilhar com vocês uma experiência literária da qual participei no mês de Junho: Clube de leitura da Anny Mendes.
A autora convidou através do instagram os leitores a realizar a leitura coletiva do primeiro livro da Trilogia Recomeço o livro "Um Recomeço".

Título: Um Recomeço
Autora: Anny Mendes
Editora: Amazon
Ano: 2017
Nº de Paginas: 503

SINOPSE: No meio do assombro em que vivia, desde a infância, Beatrice é resgatada por Pietro. Apesar dos traumas, ele a protege do passado sombrio e lhe consagra um amor puro. Juntos, constroem uma vida de sucesso e conquistas. Quinze anos se passam e tudo demonstra estar bem, porém, um acontecimento, súbito, arranca-a dos braços do esposo querido, fazendo seu mundo desabar. De repente, ela se vê perdida, novamente.

Em meio aos temores que ressurgem, trabalhando arduamente, tentando se encontrar e se libertar. Beatrice é mais uma vez surpreendida. Bryan, um empresário renomado, carismático e sofisticado, que para sustentar sua posição, no meio em que atua - mantém uma postura autoritária - cruza o seu caminho. Embora Bryan aparente ser firme e arrogante, carrega uma decepção amorosa que fez com que passasse a desacreditar na sinceridade das mulheres. Ele as traz longe, distantes, prefere usá-las e descartá-las... Até Beatrice atravessar o seu caminho. 
Uma história intrigante que passeia pelas satisfações e inquietudes do homem. Com perdas e ganhos, uma viagem sem volta... Onde você define o vencedor.

QUEM É ANNY MENDES?
Paulistana de Santo André-SP atualmente mora em Maringá-PR.  Pedagoga, enquanto dedicou-se a ensinar, alimentou a esperança de um dia poder fazer o que sempre sonhou – escrever. Em agosto de 2016, conseguiu organizar sua vida e deu início ao seu primeiro livro. A história fluiu livremente, soltando da gaiola o que ficou preso por anos. Divide seu tempo em ensinar, ler e escrever.  Conheça um poco mais dela nas redes sociais Facebook - Skoob - Instagram - Wattpad.
RESENHA: Quando Beatrice perdeu seu marido Pietro ela perdeu um amigo e companheiro. Ela ainda sofre muito com a sua ausência quando conhece Bryan. Apesar de ser uma mulher com uma carreira brilhante ela ainda tem muitos traumas e feridas de um passado de muita dor e sofrimento.
Brayn é um empresário decidido que depois de uma desilusão amorosa tem dificuldade para acreditar novamente no amor. Até encontrar Beatrice. Ela muda todas as suas convicções e o faz perder a cabeça.
Quando iniciei a leitura eu não tinha a menor ideia do que esperar, não conhecia nada da autora nem da sua escrita. Confesso que a maneira como ela conduz a narrativa me deixou um pouco confusa pois, a historia e contada simultaneamente por Beatrice e Bryan o tempo inteiro. Então pela primeira vez eu pude acompanhar todos os acontecimentos com os dois personagens.

Apesar de muito bem bem resolvida profissionalmente Beatrice e tremendamente inseguro com suas relações e ela tem grande dificuldade para lidar e aceitar seu envolvimento com Bryan. Ele por sua vez me irritou varias vezes, sendo extremamente possessivo e ciumento. Por vezes cheguei a achar que ele não era o par ideal para Beatrice. A pesar de o casal ser o tema central muitos outros dramas secundários são tratados na historia mas todos relacionados a relações familiares. Estes dramas faz a gente se aproximar mais deste personagens secundários e se envolver tanto com eles como com os protagonistas.

Durante a leitura foram propostos alguns desafios. o primeiro deles foi de retirar quotes da historia. Eu escolhi dois que gostei bastante:


Outro desafio proposto e de listar 5 motivos pelos quais você indicaria a leitura deste livro.
Vou listar aqui alguns motivos para você também ler este livro:
💓 Autora Nacional - eu super apoio quem tem a coragem de permitir que outras pessoas leiam aquilo que escrevem. Este já seria um ótimo motivo.
💓 A autora aborda temas que muitas vezes tentamos ignorar, o abuso físico e emocional que serve de pano de fundo realmente não pode ser ignorado.
💓Um mocinho irritante. Kkkk sim achei ele meio irritante mas gosto disso de não se super idealizar. De o personagem não ser perfeitíssimo, todos temos defeitos.
💓 Como sou formada em Administração, amei o fato da mocinha também atuar na área e mostrar a importância de se ter profissional qualificados.
💓 Um livro quente. Tem bastante romance.

Se você gostou e quiser conhecer os outros livros desta serie e só clicar no link e adquirir o seu:
Livro 1                       Livro 2                   Livro 3

Apesar de ter aceitado participar sem conhecer a historia foi uma experiencia muito divertida e com certeza vou ler os outros livros da serie para conhecer o final desta historia.

E você já participou de uma experiência assim? Ficou curioso com a história? 
Me conta aí nos comentários.
Beijos e até a próxima!!!!!


quarta-feira, 20 de junho de 2018

A APOSTA - RACHEL VAN DYKEN

Oi gente!!! Tem muito tempo que não apareço por aqui. 
Mas este livro foi tão bom que resolvi sair do exílio para compartilhar com vocês.

Título: A Aposta
Autor: Rachel Van Dyken
Ano: 2013
Editora: Suma das Letras 
Paginas: 288 
Classificação: 5

Sinopse: Kacey deveria ter fugido assim que ouviu essas palavras do milionário Jake Titus. O amigo de infância que Kacey não via há anos é hoje um dos homens mais poderosos e cobiçados de Seattle. E ele precisa de um favor dela: que ela finja ser sua noiva em uma viagem para visitar a avó Nadine, que está muito doente. Kacey aceita sem hesitar, afinal, o que poderia acontecer em apenas quatro dias? Mas o que ela não esperava era reencontrar Travis, o irmão mais velho de Jake, quando mais novo, ele adorava perturbar Kacey: já incendiou uma boneca, colocou uma cobra em seu saco de dormir. Por isso, recebeu dela o apelido de “Satã”. Mas depois de tantos anos, Kacey se vê diante de um homem lindo, por quem se apaixona no momento em que vê o seu sorriso. O que ela não sabe, no entanto, é que os dois irmãos haviam feito uma aposta quando eram meninos: quem se casasse com Kacey receberia um milhão de dólares. Em “A Aposta”, da autora best-seller do New York Times Rachel Van Dyken, Kacey terá que descobrir qual dos irmãos é o cara certo e fazer sua escolha. 

Resenha: Quando comecei o livro imaginava uma história totalmente diferente. Mas no decorrer das páginas percebi uma linda história de amor que teve suas raízes na infância e que durou até a vida adulta. A trama gira em torno dos irmãos Travis e Jake e da relação de ambos com a Kacey. Desde pequenos eles e formavam um trio e tanto.Travis o mais velho sempre fazia de tudo para chamar atenção de Kacey. Sempre construir várias armadilhas para Kacey para tentar virar o herói da sua vida. Porém, quem sempre acabava salvado Kacey era seu irmão caçula, Jake, que se tornou o melhor amigo dela.
Mas a amizade deles fica abalada quando Kacey e Jake dormem justos e ele some, só retornado depois para lhe pedir um favor. Visitar a vó deles que está doente e a ama  como uma neta.
Kacey aceita fingir que está noiva de Jake para que a vó não sofra mais pele comportamento de bad boy dele.


Quando Kacey encontra Travis fica impressionada como o seu maior inimigo ficou bonito e sexy.
O mais gostoso da história com certeza foi a descoberta de que era o verdadeiro   amor de Kecey.


O livro retrata que as vezes um sentimento da infância pode durar uma vida inteira e se tonar uma linda história de amor.
Mas o mais legal que retrata o livro é como às vezes não sabemos que a pessoas realmente é.
Às vezes seu verdadeiro amor está mais próximo que você imagina!

Espero que gostem e não se esqueçam de deixar a sua opinião aí nos comentários.
Beijos...

segunda-feira, 18 de junho de 2018

RESENHA ACAMPAMENTO DE INVERNO PARA MÚSICOS (NEM TÃO) TALENTOSOS - CLARA SAVELLI

Boa Tarde, Amores!!!!


Hoje vim apresentar para vocês, uma história fofa, de uma autora mais fofa ainda. A Clara Savelli, é autora do livro Mocassins e All Stars do qual participo do projeto viajante da amiga Jussara. 
Semana passada, teve a semana temática de acampamento, divulgação para pedir a publicação do livro Acampamento de Inverno para músicos (nem tão) talentosos, já que o mesmo está apenas no wattpad e na Amazon. 
Embora minha fila de livros esteja enorme, seguir a sugestão da amiga Jussara, pulei a fila e li o livro do acampamento, e realmente valeu a pena.
E a autora Clara é nossa parceira do blog, e fique atento logo logo terá sorteio do livro Mocassins e All Stars. 

Fonte: Skoob
Título: Acampamento de Inverno para músicos (nem tão) talentosos
Autora: Clara Savelli
Editora: Amazon
Ano: 2016
Nº de páginas: 214
Classificação: 5

Sinopse: Amanda foi arrastada pela melhor amiga para passar um mês em um Acampamento para Músicos em Teresópolis, cidade serrana do Rio de Janeiro. O sítio do acampamento é isolado e, ainda que pense nisso constantemente, Amanda não tem como fugir. Tudo bem que ela perde um pouco da vontade de fugir quando conhece Bruno, monitor do Acampamento que também não parece estar tão empolgado com o fato de ter que passar um mês trancafiado naquele lugar. E já que não pode fugir, por que não aproveitar tudo que for possível? Entre garotos, segredos e muita música, Amanda descobre que é mais talentosa do que pensa e que passar um mês trancafiada em um sítio isolado pode não ser tão ruim assim. Especialmente quando o sítio tem piscina aquecida, academia, água quente e um monitor lindo daqueles.

Resenha:

Amanda é uma adolescente de 17 anos, que acredita na lei de Murphy e se ver arrastada pela amiga para um acampamento de músicos, mesmo afirmando saber tocar apenas três músicas na flauta e ainda errando algumas notas, e de gostar de cantar no chuveiro, ela não se ver como talentosa, como afirma a amiga Lila, que tem realmente habilidades com o piano e dança. 
Mas quando ver, Amanda está no ônibus, indo para o acampamento, que fica em Teresópolis, e irá passar um mês, o qual diz ser o fim da sua vida, mas já no ônibus ela conhece Bruno, um carinha mais velho e monitor da sua faixa etária, que ganha sua atenção por entrar na sua vibe de esse é o meu fim, reparar esses adolescentes, daí já surgi uma paquera, que na opinião de Amanda pode mudar esse acampamento.
Quando Amanda chega no acampamento, acha o prédio decadente, e sem contar que tem muito mato, que pode ter bichos e causar uma doença nela (rsrs), mas ao entrar percebe que o prédio é um lugar agradável, se ela tivesse lido o panfleto que a amiga lhe deu, saberia que esse acampamento mudaria sua vida.
Resultado de imagem para seguindo estrelas letra
Fonte: Google imagens

Depois de encontrar seu quarto, que dividiria com sua amiga, elas vão para o jantar de apresentação do acampamento, onde ela conhece Eduardo, mas que ganha logo sua antipatia, pois parece ser surdo, quando ela pede pra ele pular uma cadeira, para ele ficar do lado da amiga. Mas Gustavo seu amigo, acaba resolvendo esse problema, já que ele se encantou por Lila.
Na manhã seguinte, Amanda passa um dos primeiros micos, é a única de vestido, num dia frio da serra, e quando vê ainda tem que escolher em que se inscrever no acampamento, no final acaba se decidindo pela aula de flauta e canto, e qual não é a surpresa de está com Eduardo na mesma sala, o ruivo que lhe tira do sério. Nessa mesma aula ela conhece Ana Júlia fã de Katy Parry e Igor fã de Lady Gaga, que se tornam seus parceiros.
Fonte: Capa facebook Jussara (rsrs)
Nas primeiras semanas de acampamento Amanda, ainda não está tão feliz por passar esse mês todo trancada no acampamento, mas as pegações com Bruno "vale a pena", mesmo que tenha que se escondida. E ao mesmo tempo ela sente algo estranho em relação a Eduardo, que momentos está sorrindo (sorriso lindo na verdade) e outros momentos está monossilabo.
Amanda acaba se frustando com Bruno, e se ver forçada a conviver com Eduardo devido o rolo entre Gustavo e Lila, mas ela começa a perceber que Eduardo talvez não seja o que ela pensa. Eduardo é um ruivo, que fica vermelho, quando está com vergonha, o que o deixa fofo, além de ser atencioso e disposto a ajudar sempre que possível. 
Amanda tem que ensaiar, pois vai participar do show final do acampamento, mesmo contra a vontade, pois mesmo não se achando talentosa, descobre que canta bem e acaba tendo que fazer um dueto com Eduardo. Os dois passam algum tempo trocando músicas entre si, mas a especial que sempre acabam dançando é do Ed Sheeran " Thinking Out Loud".
Resultado de imagem para Thinking Out Loud
Fonte: Google Imagens
E nessas ida e vinda de não queria está aqui nesse acampamento, Amanda acaba descobrindo algumas coisas novas sobre si mesma, e que essas descobertas mudaria sua vida para sempre, como reafirmar sua amizade com Lila (mesmo depois de uma briga), fazer novos amigos, de perdoar sua mãe pela ausência e encontrar seu amor pra vida toda. Eduardo teve um amor a primeira vista por Amanda, quanto Amanda teve antipatia a primeira vista por ele, mas que no final acabou sendo um amor sincero.
Indico essa história para todos, pois é muito fofa e tem algumas reflexões interessante, além de ser uma leitura leve e rápida, que flui de maneira incrível, assim como a escrita da autora.

Encontre a autora Clara
Site da autora: http://www.clarasavelli.com/
Instagram: https://www.instagram.com/claraguta/
Twitter: https://twitter.com/claraguta
Youtubehttps://www.youtube.com/clarasavelli

Beijinhos da Sue <3.

quinta-feira, 7 de junho de 2018

A SUTIL ARTE DE LIGAR O F*DA-SE - MARK MANSON

Olá Galera, Tudo bem?

Eu ando sumida, mas por uma boa causa, estou estudando e isso é um projeto que tem prazo para ser concluído, por isso estou dando preferência, e quase não tenho lido nenhuma outra literatura.
Mas abri uma exceção ao livro A sutil arte de ligar o foda-se, e olha que fugi da minha zona de conforto, porque não gosto de livro de auto-ajuda, mas esse me chamou a atenção pelo título.

Fonte: Skoob
Título: A sutil arte de ligar o f*da-se
Autor: Mark Manson
Ano: 2017
Editora: Intrínseca

Páginas: 224
Classificação: 5

Sinopse: Chega de tentar buscar um sucesso que só existe na sua cabeça. Chega de se torturar para pensar positivo enquanto sua vida vai ladeira abaixo. Chega de se sentir inferior por não ver o lado bom de estar no fundo do poço. Coaching, autoajuda, desenvolvimento pessoal, mentalização positiva - sem querer desprezar o valor de nada disso, a grande verdade é que às vezes nos sentimos quase sufocados diante da pressão infinita por parecermos otimistas o tempo todo. É um pecado social se deixar abater quando as coisas não vão bem. Ninguém pode fracassar simplesmente, sem aprender nada com isso. Não dá mais. É insuportável. E é aí que entra a revolucionária e sutil arte de ligar o foda-se. Mark Manson usa toda a sua sagacidade de escritor e seu olhar crítico para propor um novo caminho rumo a uma vida melhor, mais coerente com a realidade e consciente dos nossos limites. E ele faz isso da melhor maneira. Como um verdadeiro amigo, Mark se senta ao seu lado e diz, olhando nos seus olhos: você não é tão especial. Ele conta umas piadas aqui, dá uns exemplos inusitados ali, joga umas verdades na sua cara e pronto, você já se sente muito mais alerta e capaz de enfrentar esse mundo cão. Para os céticos e os descrentes, mas também para os amantes do gênero, enfim uma abordagem franca e inteligente que vai ajudar você a descobrir o que é realmente importante na sua vida, e f*da-se o resto. Livre-se agora da felicidade maquiada e superficial e abrace esta arte verdadeiramente transformadora.

Resenha:

O Livro a sutil arte de ligar o f*oda-se, ganha atenção pelo título inusitado, e foi isso que me chamou a atenção, ele é um livro de auto-ajuda diferente de todos do seu gênero, ele desconstrói a ideia de você é especial e tem um proposito na sua vida, ele é um choque de realidade para todos os eu sou f*da e vocês tem que me aguentarem.  Logo de cara ele diz:
“A ideia não é fugir das merdas. É descobrir com qual tipo de merda você prefere lidar.”
Isso é tão verdadeiro, que a gente para e fica pensando nesse detalhe, a vida não é fácil, nós enfrentamos diariamente vários tipos de merdas na vida, em casa, no trabalho, na rua e até nossas mesmo. Então devemos decidir qual tipo de merda queremos enfrentar, será que vale a pena se desgastar com tudo que acontece ao nosso redor? Será que não está na hora de deixar os outros resolverem os problemas.

“A vida é basicamente uma série interminável de problemas.”

Sim, a vida é mesmo. Problemas com a família, com o pessoal do trabalho, e principalmente com nossas decisões pessoais, o que devo fazer, porque fico remoendo minhas decisões ou não consigo resolver meus problemas, não consigo dizer a verdade nua e crua na cara de quem não gosto e não ficar me punido por isso, porque nos ficamos nesse ciclo vicioso de reprisar acessos de raiva, ansiedade, nervosismo , mágoa e autopiedade, porque não ligar o f*da-se para isso.
“Ligar o f*da-se não significa ser invulnerável, mas se sentir confortável com a vulnerabilidade.”
Independente de ligar o f*da-se, nós sempre vamos repensar o que decidimos, porque somos assim, seres racionais, onde a mente contorce-se algumas verdades e te obriga a pensar nesses fatos mesmo que não queira, ligar o f*oda-se também é perceber que somos frágeis em algumas situações, mesmo que não queiramos deixar amostra.  E como Mark diz:
Ficamos mal por estarmos mal; nos culpamos por nos culparmos. Ficamos irritados com nossa irritação; ansiosos com nossa ansiedade. Qual é o meu problema?Daí a importância de ligar o f*da-se. É isso que vai nos salvar, nos fazendo aceitar que o mundo é uma doideira e que tudo bem, porque sempre foi assim e sempre será.”
Sim é mesmo, existe momentos de felicidade, de tristeza e neutros, onde a gente não sabe o que fazer e parece viver numa inercia. Onde você não quer fazer nada além de comer e dormir.  Onde nossa própria irritação nos irrita, por esta irritado com a situação que passamos. 

“A felicidade não é uma equação que possa ser solucionada.”
Não é mesmo, e não adiantar seguir todos esses conselhos idiotas dos gurus e idealizadores  porque só nós podemos definir o que é felicidade para nós, só nós podemos encontrar o que nos deixa feliz. 
“Enfrentar seus medos e suas ansiedades é o que vai fazer você criar coragem e perseverança.”
Sim, isso é muito verdade, porque acabamos não fazendo muito coisas, porque temos medo de tomar decisões erradas. Medo de enfrentar uma nova estrada, um lugar, um novo emprego, uma nova profissão, um novo desafio e não dar certo. Ter coragem é meter a cara, mesmo com as dúvidas e continuar tentando, mesmo que dê errado. 
“É admirável quem liga o f*da-se para os problemas, para as derrotas, para o risco de fazer papel de bobo ou de se dar mal algumas vezes. Quem ri do perigo e segue em frente.”

Na verdade, ligar o f*da-se é libertador, é tirar um peso das suas costas, das respondibilidades que te prende em algumas situações, é ver os problemas caindo aos montes sobre você e você optar por resolver o mais urgente e f*da-se os outros vão ter que esperar. É perceber que fazemos sim papel de bobo na nossa vida, mas vida que segue. E que várias vezes a gente vai sim, se dar mal, porque a vida é assim, erros e acertos, e não temos como definir o futuro. Que as vezes é melhor ri, do que chorar.

“Ligar o f*da-se é encarar os desafios mais assustadores e mais difíceis da vida e agir.
 A vida é difícil, e não adianta por panos quentes em cima, fugir da realidade, ela te dar desafios e problemas para solucionar todos os dias. 

“As maiores verdades da vida são as mais desagradáveis de se ouvir.”
Na verdade nós seres humanos, não gostamos de ouvir a verdade, porque ela magoa, e nós na maioria das vezes não sabemos lidar com ela, a não ser se sentir inferior, para baixo e com raiva de quem nos falou a verdade. Ouvi que você precisa resolver seus próprios problemas, assumir suas responsabilidades, arranjar um emprego, estudar e tomar rumo na vida doí, mas precisamos escutar isso, se quisemos fazer alguma coisa com nossas vidas e não só coexistir. 
“Tomar decisões com base apenas no que seu coração manda, sem o auxílio da razão para se manter na linha, é pedir para dar merda. Sabe quem baseia a vida nas emoções? Crianças de três anos. Cachorros. Sabe o que mais crianças de três anos e cachorros fazem? Cagam no tapete."
Sabe o que Mark diz, que tomamos algumas decisões de merda, e é verdade, mas podemos corrigir isso se quisermos algo de verdade. 
Mark trás vários exemplos de pessoas famosas, que se deram mal na vida, que tomaram decisões erradas e continuaram fazendo mesmo tendo ideias incríveis, ou sendo um escritor, pintor, cantor, psicologo, etc., famoso. Ele trás exemplos reais da vida, com decisões idiotas que tomamos, assim como ele mesmo, pois conta vários momentos da sua vida no livro. 
“Eu tenho uma notícia boa e uma ruim para você: seus problemas são bem pouco originais e especiais. […] Há uma espécie de egoísmo que acompanha o medo, e ele é baseado numa certeza irracional. […]”
Ele tem uma escrita leve, que flui rápido. A divisão dos capítulos tem o título muito interessante, porque são recomendações diferente de vários livros de auto-ajuda como Nem tente, você está errado em tudo (eu também), esses são pontos realista e chocantes para quem segue uma filosofia de vida, onde ser especial e fazer tudo que estiver ao seu alcance  nem sempre vai resolver seus problemas. E o autor faz uma "crítica" aos livros padrões de auto-ajuda. 

Esse livro é incrível, e acreditem galera para eu dizer isso de um livro de auto-ajuda é fora do comum. Indico para todos essa leitura. 
“Nossos valores determinam o parâmetro segundo o qual avaliamos as outras pessoas e nós mesmos. […] Se você deseja mudar sua forma de ver os problemas, precisa mudar seus valores e/ou sua forma de medir fracassos e sucessos.”
Beijos e até a próxima. 


sexta-feira, 1 de junho de 2018

DESAFIO LITERÁRIO JUNHO 2018


Oi gente!!!!
Quase todos os meses a gente passa por aqui para te desafiar a ler com a gente. São sempre três livros de desafio e mais um livro do clube do livro.
Este mês resolvi aproveitar o espaço para apresentar os desafios do mês e indicar livros de um dos desafios. 

Vamos conhecer nossos desafios de Junho:

1 - Uma Historia de amor - 12 Dia dos Namorados - 
Além dos Sonhos - Adriana Brazil

2 - Um livro do Suspense ou Policial - Ele vai ser a leitura coletiva de Junho
Um de Nós Está Mentindo - Karen M. McManus

3 - Um livro sobre a Ditadura ou tortura - 26 apoio as vitimas de tortura - Falaremos das opções já já.

Clube do Livro: Um livro que lembre inverno
O Inverno das Fadas - Carolina Munhóz

Como um dos desafios trata-se de algo bem sério e que talvez, princialmente para os mais jovens, pareça apenas um fato histórico.

Após conversar com uma amiga literária, percebi que este talvez seja o livro mais difícil do desafio. Pois trata-se de um período sombrio da nossa historia recente. 
A Ditadura militar foi um regime autoritário instaurado no Brasil de 01 de Abril de 1964 apos o golpe militar e durou até 15 de Março de 1985. 
As ações que culminaram na tomada do pais pelos militares iniciou-se em 25 de Agosto de 1961 com a renuncia do presidente Jânio Quadros. e culminou com o golpe militar em 1964 que tinha o objetivo de evitar o avanço das organizações populares do Governo de João Goulart que foi acusado de comunista.
Fatos históricos a parte podemos dizer que foi um triste capitulo da nossa historia onde ocorreram muitas censuras, exílios, torturas e mortes

Mas para que não fique apenas nos livros de historia acho importante conhecer e entender este período histórico. E como historia é...

"(...) o estudo do passado para entender o presente, mas de um passado vivo, que está presente em nós."

Eu diria ainda mais, uma forma de não repetirmos os erros passados.

Neste período houveram muitas pessoas desaparecidas e torturadas por discordar do regime militar. Em 2013 os arquivos do DOPs (Departamento de Ordem Política e Social) foram liberados na internet, os arquivos que já podiam ser acessados fisicamente desde 1994, facilitando o acesso a estas informações.
O dia  26 de junho é comemorado o Dia Internacional de Apoio às Vítimas de Tortura. A data foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1997, sendo realizada no mesmo dia em que foi assinada a Convenção contra a Tortura, criada em 26 de junho de 1987.
O objetivo da data, além de apoiar as vítimas, combater a execução de atos de tortura por parte dos órgãos repressivos dos Estados.
“todos os dias, mulheres, homens e crianças são torturadas ou maltratadas com a intenção de destruir sua dignidade e seu sentimento de valor humano. Em alguns casos, isto faz parte de uma política de Estado para fomentar o medo e intimidar a população”.
Ban Ki-moon, Secretário-Geral da ONU
Dito isso vamos as nossas dicas de leitura para você conhecer um pouco mais da nossa história:
O que é isso, Companheiro?
Fernando Gabeira
SINOPSE: No final da década de 60, o atual deputado federal Fernando Gabeira envolveu-se na guerrilha urbana e tornou-se um dos homens mais procurados do país. Em 1979, lançou este 'O que é isso, companheiro?', em que busca compreender o sentido de suas experiências - a luta armada, a prisão, a tortura, o exílio - elaborando um relato autêntico e vertiginoso do Brasil dos anos 60 e 70. O livro se transformou num verdadeiro clássico do romance-depoimento e inspirou o filme de Bruno Barreto. 

Os Cúmplices - Vol. II
Roberto Freire
Neste segundo volume de Os Cúmplices, Freire narra de modo apaixonado os fatos humanos e políticos mais importantes de sua vida pessoal e social, através dos irmãos Bruno e Victor Conti, filhos de imigrantes italianos que, como ele próprio, nasceram no bairro Bixiga, dedicando-se mais tarde, também como ele, ao jornalismo, ao teatro e à vida revolucionária.
Romance de amor e paixões, em que o sexo é tratado de forma franca e aberta, o livro procura mostrar que a cumplicidade é a melhor forma de exercer o amor e a paixão, especialmente quando se tem de sobreviver num lugar em que a liberdade está impedida e é negada a justiça social, como aconteceu tragicamente no Brasil em 1964 com o golpe militar fascista .
Incidente em AntaresErico Verissimo
Em dezembro de 1963, uma sexta-feira 13, a matriarca Quitéria Campolargo arregala os olhos em sua tumba, imaginando estar frente a frente com o Criador. Mas logo descobre que está do lado de fora do cemitério da cidade de Antares, junto com outros seis cadáveres, mortos-vivos como ela, todos insepultos.
Uma greve geral na cidade, à qual até os coveiros aderiram, impede o enterro dos mortos. Que fazer? Os distintos defuntos, já em putrefação, resolvem reivindicar o direito de serem enterrados - do contrário, ameaçam assombrar a cidade. Seguem pelas ruas e casas, descobrindo vilanias e denunciando mazelas. O mau cheiro exalado por seus corpos espelha a podridão moral que ronda a cidade.
Em Incidente em Antares, Erico Verissimo faz uma sátira política contundente e hilariante que, mesmo lançada em 1971, em plena ditadura militar, não teve receio de abordar temas como tortura, corrupção e mandonismo.

Feliz Ano NovoRubem Fonseca
Considerado um dos principais livros do autor, Feliz ano novo, lançado em 1975, teve sua publicação e circulação proibidas em todo o território nacional um ano mais tarde, sendo recolhido pelo Departamento de Polícia Federal, sob a alegação de conter ´matéria contrária à moral e aos bons costumes´. O regime autoritário, que tentava à força encobrir os problemas que compunham a face negra do país, não suportou a linguagem precisa e contundente dessa coleção de contos que traduzem ficcionalmente a verdadeira fratura exposta do corpo social. A atualidade artística de histórias como a que dá nome ao volume colabora para lastrear a reputação de um dos maiores escritores brasileiros vivos

Ditadura no ar
Raphael Fernandes (Apagão) arte é de Rafael Vasconcellos, o Abel (Macbeth) HQ, independente
Em uma São Paulo noir, o amor está enterrado pela crueldade dos homens. Após o desaparecimento de sua namorada Lenina, o fotógrafo Félix Panta entra em uma arriscada investigação para descobrir o que os militares fizeram com a estudante comunista. Músicas de protesto, exilados políticos, reportagens proibidas e o terror das torturas estarão em seu caminho nesse Brasil em que a população alienada encobre a ação de ódio dos que estão no poder. Ambientada em 1969, depois do famigerado AI-5 e auge da ditadura, a trama noir destas páginas vai te levar para uma época em que era perigoso pensar diferente do governo. Baseada em relatos reais e em uma extensa pesquisa histórica, este quadrinho é uma ficção com os dois pés na dura realidade.Ditadura no ar – Coração Selvagem reúne as quatro edições da minissérie independente ganhadora do Troféu HQMix, mas com artes e textos revisados. Pode o amor de dois rebeldes vencer o ódio da conservadora ditadura militar brasileira?
Outras dicas:


A lista não para por aí mas já dá para você sentir e conhecer um pouco mais da nossa história.
Eu vou ficando por aqui mas quero saber se você já leu algum destes livros, se gostou das dicas, se quer deixar outra dica? Me conta aí nos comentários!
Beijos...